Exemplos de Comunidades Sustentáveis

Existem mais de 400 eco-vilarejos no mundo, de acordo com o banco de dados da Global Ecovillage Network. Os exemplos a seguir descrevem a vida em apenas três dessas comunidades.


solar panels
Russell Illig/ Getty Images
As comunidades sustentáveis projetam suas casas para economizar energia, como esta casa com painéis solares.

Eco-vilarejo Dancing Rabbit, Missouri
O Eco-vilarejo Dancing Rabbit é uma comunidade de 280 acres em desenvolvimento ao nordeste de Missouri com metas de longo alcance. A comunidade busca ser uma cidade totalmente auto-dependente que pratica a "sustentabilidade ambiental radical," conforme o Web site da comunidade. Os fundadores da cidade esperam atrair entre 500 e 1,000 habitantes para criar uma comunidade diversificada com maior capacidade de suprir totalmente as suas próprias necessidades. [fonte: Dancing Rabbit]. A Dancing Rabbit tem até mesmo a sua própria moeda local, para incentivar o comércio local e a geração de empregos locais.

O eco-vilarejo estabeleceu um conjunto de seis diretrizes que podem parecer extremas para os ambientalistas acomodados entre nós, mas que deverão dirigir a cidade em seu caminho rumo à conquista da sustentabilidade.

  1. Nenhum veículo será usado dentro do vilarejo.
  2. Combustíveis fósseis para carros, refrigeração, aquecimento e refrigeração doméstica (inglês), bem como aquecimento doméstico de água não são permitidos.
  3. Toda a jardinagem deve ser orgânica.
  4. Toda energia deve vir de recursos renováveis.
  5. Não é permitida madeira vinda de fora da área local, a menos que seja reciclada ou recuperada.
  6. Lixo orgânico e materiais recicláveis devem ser reincorporados em produtos utilizáveis por meio de métodos como de compostagem.

A longo prazo, os cidadãos de Dancing Rabbit pretendem alcançar o crescimento populacional negativo. Se eles querem que os cerca de 50 habitantes atuais se tornem 500 ou 1000, eles talvez queiram repensar sobre a última diretriz.

O Eco-vilarejo de Los Angeles , Califórnia
Talvez você pense que as comunidades sustentáveis devam ser mantidas no campo, mas não é verdade. Localizada apenas cerca de 4 quilômetros ao oeste do centro de Los Angeles (em inglês), o Los Angeles Ecovillage (LAEV) é uma comunidade de 500 residentes que buscam causar impacto mínimo sobre o ambiente e ao mesmo tempo oferecer uma forma de vida enriquecedora. [fonte: Los Angeles Eco-Village]. A localização urbana próxima ao tráfego público, escolas, igrejas, serviços comerciais e indústrias ajuda os habitantes a dirigir menos, enquanto as dezenas de jardins e árvores frutíferas fornecem uma fonte de alimentação local (em inglês).

O LAEV usa uma abordagem de sistema integral para a sustentabilidade, o que significa que os habitantes buscam balancear as necessidades sociais, econômicas e ambientais da comunidade. Aqui, a água e o ar limpos estão ao lado de relacionamentos estreitos, diversidade étnica e moradia acessível. Os moradores recuperaram 20 toneladas de tijolos do depósito de lixo para usar em projetos de construção, compostaram mais de 100 jardas cúbicas de lixo de jardim e promovem incontáveis jantares comunitários semanais para estabelecer e fortalecer relacionamentos. Quem saberia que a sustentabilidade seria possível mesmo em uma das maiores e mais poluídas cidades dos Estados Unidos?

O Eco-bairro Earthsong, Nova Zelândia

Bem longe dos Estados Unidos, na Nova Zelândia (em inglês), existe outra comunidade com pensamento ambiental que está brotando. O Earthsong uniu os dois conceitos de permacultura e habitação conjunta para formar a sua própria comunidade verde. A permacultura é um método sustentável de paisagismo comestível que minimiza o uso de água e energia, enquanto a habitação conjunta é o compartilhamento de recursos comuns por um grupo de pessoas.

Os habitantes de Earthsong possuem suas casas próprias, mas eles também têm acesso compartilhado ao terreno comum e à casa comum. A casa comum é o lugar onde os habitantes socializam-se e utilizam confortos como a biblioteca, lavanderia e a sala de artesanato. Casas individuais no bairro são feitas de terra batida, que é um tipo de material de construção natural com excelente capacidade para manter casas frescas no verão e aquecidas no inverno. Além disso, as casas são equipadas com painéis solares, e os telhados coletam água da chuva.

No Brasil

O Brasil também tem suas ecovilas ou comunidades sustentáveis. Algumas não são exatamente comunidades, mas sítios onde as pessoas costumam viver a partir dos princípios de sustentabilidade. Em alguns casos são organizações de permacultura. Outras, apesar de pequenas, têm esse caráter comunitário forte. O Instituto de Permacultura e Ecovilas da Mata Atlântica, que fica em Ubatuba (litoral de São Paulo) reúne esses dois aspectos já que tem também a ecovila do Corcovado. Boa parte das ecovilas envolve também tem questões espirituais entre seus princípios. Para saber sobre elas, acesse o site Ecovilas Brasil.

 

As comunidades sustentáveis são apenas um tipo de esquema de habitação que exige pouco da Terra. Na próxima página, aprenda sobre outros tipos de ambientes ecologicamente amigáveis.