Causas do desmatamento

Em termos gerais, a culpa pelo desmatamento cabe à atividade humana, ainda que desastres naturais também influenciem. Assim, vamos estudar de que maneira os seres humanos provocam desmatamento.

Exploração madeireira, ou o corte de árvores em florestas para usá-las como fonte de madeira, é um fator básico de desflorestamento. Isso afeta o ambiente de diversas maneiras. Porque caminhões e equipamentos precisam chegar à floresta a fim de se aproximar das árvores e transportar a madeira, é preciso desmatar grandes áreas para estradas. A exploração seletiva ou manejo florestal de madeira é uma das principais alternativas para a diminuição do desmatamento. No entanto, essa prática ainda não é disseminada no Brasil, como pode ser visto no artigo do ComoTudoFunciona. A cobertura florestal é importante para o ecossistema da floresta porque abriga e protege as populações vegetais, animais e de insetos. Também protege o solo da floresta, o que desacelera a erosão do solo.   

Pecuária
@iStockphotos
A pecuária é um dos fatores para
o crescimento do desmatamento

A agropecuária é outro fator que provoca o desmatamento. Os agricultores tendem a limpar terras para semear ou criar gado e muitas vezes desmatam largas áreas por meio de queimadas e derrubadas de árvores. Os agricultores migratórios limpam uma área florestal e a empregam até que a terra se degrada demais para sustentar safras. Depois, se transferem e limpam outra porção de floresta. Caso a área que abandonaram seja deixada intocada, acontece reflorestamento, mas ela demorará muitos anos até retornar ao seu estado original, se não houver o devido acompanhamento. No caso brasileiro, há ainda os grileiros de terra que acabam se apropriando ilegalmente das terras, através do desmatamento seja com o simples corte de madeira ou com a queimada.

Outro aspecto são as represas das usinas hidrelétricas que provocam bastante polêmica, embora ajudem a gerar energia para as comunidades, também contribuem para o desmatamento. Os oponentes de sua construção acreditam que erguer esse tipo de estrutura não apenas tem impacto ambiental negativo mas abre a área à exploração madeireira e a mais estradas [fonte: Colitt]. Para construir uma represa hidrelétrica, muitos hectares de terras precisam ser inundados, o que causa decomposição e a liberação de gases causadores do efeito-estufa. Moradores locais também podem ser deslocados pelos projetos de represas, causando ainda mais desmatamento quando eles se assentam em outras áreas. 

Incêndios, tanto acidentais quando deliberados, destroem largas áreas de floresta rapidamente. As áreas de exploração madeireira são mais suscetíveis  a incêndios devido ao número de árvores secas e mortas. Os invernos mais amenos e os verões mais longos causados pelo aquecimento global também causam incêndios. Por exemplo, certas espécies de besouro que usualmente morrem no inverno agora podem sobreviver e continuar se alimentando das árvores. Essa alimentação causa o ressecamento e morte das árvores, e a madeira morta se torna combustível para o fogo [fonte: Environmental Defense Fund].

A mineração também resulta em desmatamento. Escavar uma mina de carvão, diamantes ou ouro requer a remoção de toda cobertura florestal, não só para as minas mas para os caminhões e equipamentos. Recentemente, a  Venezuela negou a uma empresa chamada Crystallex permissão para escavar uma mina, devido a preocupações ambientais [fonte: Walter e Bailey]. No Brasil, a questão mineral é monitorada pelo Ibama que exige a apresentação de um EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto ao Meio Ambiente) para o funcionamento. Uma das maiores mineradoras do mundo, a Vale, que tem a maior parte das suas minas no Pará conta com um plano de mitigação com a criação e manutenção de reserva com a que fica em Carajás, no sul do Pará.

O óleo de palma ou dendê vem recentemente recebendo atenção dado o seu potencial como biocombustível, e é usado em muitos produtos industrializados e de beleza. Mas o óleo de palma é outra causa de desmatamento. A alta nos preços o torna mais valioso, e em resposta agricultores indonésios e malásios destroem áreas florestais para colhê-lo. Por isso, diversos países já vem debatendo a questão do uso do óleo de palma como biocombustível. No Brasil, a Palma é mais timidamente cultivada com uma produção em escala limitada a região do município de Tailândia no Pará. A cana-de-açúcar também usada para o biocombustível tem seu cultivo proibido na Amazônia e, até 2007, não havia provocado muito desmatamento já que usou áreas onde antes eram cultivados grãos.

À medida que as cidades crescem para acomodar mais pessoas, árvores são cortadas para abrir mais espaço para ruas e casas. O desmatamento causado pela expansão urbana acontece em todo o mundo, agora que mais de 50% da população mundial vive em cidades [fonte: CNN].No Brasil, a drática diminuição da Mata Atlântica, que hoje conta com apenas 7% da sua formação original, é o exemplo mais acabado do efieot nocivo da expansão urbana.

Assim, de que modo todo esse desmatamento nos afeta, em termos locais e globais? Leia as próximas seções para descobrir sobre os efeitos negativos do desmatamento. 

O motor a vapor provocou o desmatamento?

No começo do século 19, motores a vapor eram usados apenas em minas de carvão. Sua ineficiência só tornava útil empregá-los nas minas, onde o combustível era abundante. Enquanto isso, o desmatamento tornava a madeira escassa na Inglaterra e França, e os dois países começaram a usar o carvão.

Enquanto os mineiros cavavam mais e mais fundo para extrair carvão, os motores a vapor ineficientes ganhavam eficiência.Em breve, eles evoluíram para a forma moderna dos motores a vapor, que serviu de fundação à Revolução Industrial.