Copenhagen, Dinamarca

Autor: 
Maria Colenso

Copenhagen, cidade de 1,7 milhão de habitantes, é conhecida por moradores que preferem trocar os carros por bicicletas ou pelo metrô. Isso já seria o suficiente, porém, os sistemas ecológicos de transporte são apenas uma parte do planejamento urbano pró-ecológico da cidade. Em 2006, Copenhagen conquistou o Prêmio Ambiental Europeu pela limpeza de suas vias aquáticas e por sua liderança em termos de planejamento ambiental. O que gerou esse prestígio? Água e moinhos.

A cidade é amplamente elogiada pelos esforços desenvolvidos nos últimos 10 anos a fim de manter as águas de seu porto limpas e seguras. O governo investiu em um sistema de monitoração da qualidade de água que acompanha os níveis de poluição.

Copenhagen, Dinamarca
© istockphoto.com / Andrew Nisbet
Copenhagen, Dinamarca

Além disso, Copenhagen é famosa por seus moinhos de vento. Mais de 5,6 mil deles fornecem 10% da eletricidade da Dinamarca ; e em 2001 Copenhagen inaugurou o maior parque marítimo de moinhos. O parque tem capacidade para abastecer 32 mil residências na cidade, e atender cerca de 3% de suas necessidades de energia [fonte: Grist - em inglês]. 

O que é "espaço verde"?

"Vida verde" pode significar literalmente isso - usar
plantas para tornar mais verde a sua comunidade. E o espaço verde quer
dizer exatamente o que parece: o total de espaço reservado a plantas,
árvores, jardins, parques e reservas naturais. Os espaços verdes
melhoram a qualidade do ar, reduzem os níveis de poluição e os custos
da energia e tornam a estética de uma cidade mais atraente. 

Algumas
cidades vêm encontrando maneiras inovadoras de incluir mais espaço verde
em sua paisagem urbana. Em 2000, a cidade de Chicago plantou um jardim
em lugar do telhado de cimento de um edifício do governo. Telhados verdes oferecem benefícios semelhantes aos dos jardins e parques no nível do chão, ao ajudar a reduzir as ilhas de calor urbano (em inglês).
Os telhados verdes também acrescentam ao edifício uma camada de
isolamento, mantendo-o mais quente no inverno e mais frio no verão,
reduzindo os custos de energia do edifício.