O derretimento das calotas polares pode elevar os oceanos?

Você já deve ter ouvido falar no aquecimento global. Nos últimos 100 anos, a temperatura da Terra cresceu 0,5ºC e, embora isso não pareça muito, meio grau pode causar um efeito muito grande sobre o planeta. De acordo com a EPA (Agência de Proteção Ambiental dos EUA), o nível do mar se elevou de 15 a 20 centímetros nos últimos 100 anos. Veja Como eles medem o nível do mar?.

Essa elevação na temperatura pode sim estar fazendo com que alguns icebergs flutuantes derretam. Os icebergues são grandes pedaços de gelo que, para flutuar, eles deslocam um volume de água igual ao próprio peso. Os submarinos usam este princípio para elevar e afundar na água mudando o seu peso.

Porém, os icebergs podem ter um papel muito pequeno na elevação dos níveis do oceano. Os icebergs são grandes pedaços de geleiras congeladas que se separam das massas de terra e caem no oceano. A temperatura em ascensão pode estar fazendo com que mais icebergs se formem ao enfraquecer as geleiras, criando mais rachaduras e aumentando a probabilidade do gelo se quebrar. E quando o gelo cai no oceano, o nível dele se eleva um pouco.

Se a elevação da temperatura afeta as geleiras e icebergues, as calotas polares poderiam estar sob risco de derreter e fazer com que os oceanos se elevem? A resposta é sim. Porém, ninguém sabe quando isso pode acontecer.

A principal massa de terra coberta por gelo é a Antártica, no Pólo Sul, com cerca de 90% do gelo de todo o mundo (e 70% de sua água potável). A cobertura de gelo na Antártica tem uma espessura média de 2.133 metros, o que nos leva ao cálculo de que se esse gelo derretesse, o nível do oceano subiria cerca de 61 metros. Mas a temperatura média na Antártica é de -37ºC, então o gelo lá não corre risco de derreter. Na verdade, na maior parte do continente, a temperatura nunca chega acima de zero.

Já do outro lado do mundo, no Pólo Norte, o gelo é bem menos espesso que no Pólo Sul. E no Oceano Ártico, o gelo já está flutuando, o que significa que os níveis do mar não seriam afetados se derretessem.

Outra quantidade significativa de gelo está sobre a Groenlândia, que adicionaria mais 7 metros aos oceanos, se derretesse. Como a Groenlândia está mais próxima do equador que a Antártica, suas temperaturas são mais altas, o que cria uma probabilidade maior do gelo de lá derreter.

Mas pode haver uma razão menos dramática do que o derretimento do gelo polar para elevar o nível do oceano: a elevação da temperatura da água. A água atinge sua maior densidade a 4º Celsius. Acima e abaixo desta temperatura, a densidade da água diminui (o mesmo peso de água ocupa um espaço maior). Então, conforme a temperatura geral da água aumenta, ela naturalmente se expande um pouco e faz com que os oceanos se elevem.

Em 1995, o IPCC (Grupo Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) emitiu um relatório que continha várias projeções sobre a mudança do nível do mar até o ano 2100. A estimativa foi de que o nível do mar subiria 50 centímetros. A elevação seria resultado da expansão térmica do oceano e do derretimento das geleiras e das calotas polares. Em 2007, a projeção se ampliou para 59 centímetros e os cientistas estimam que o Pólo Norte pode sumir nesse ano. É importante perceber que 50 ou 59 centímetros, apesar do que imaginamos, não é pouco, e afetaria bastante as cidades costeiras (especialmente durante as tempestades).

Aqui vão alguns links interessantes: